Direitos Humanos e pensamento indígena no Brasil: um breve percurso sobre a violencia da invisibilização dos modos indígenas de ser, fazer e viver.

  • Fernando Antonio de Carvalho Danta Universidade Federal do Mato Grosso
Palabras clave: Direitos Humanos, pensamento indígena, violencia, invisibilização .

Resumen

Aedição, em 29 de maio de 1537, da Bula Veritatis Ipsa pelo Papa Paulo III, declarando serem os índios homens e que, como tal, tinham alma, reforça o entendimento geral de que a bestialidade era a característica dominante ou a imagem que os colonizadores, tanto espanhóis como portugueses, atribuíam às pessoas indígenas. A necessidade da declaração papal, defendida pelo Frei Bartolomé de Las Casas, por si, confirma isto.No Brasil, o percurso da história dos povos indígenas é marcado por diferentes formas de violências institucionalizadas que configuram âmbitos de injustiças igualmente institucionalizadas. Começa pela negação à humanidade, transita em longo tempo pela negação da cultura e chega à contemporaneidade consubstanciado no limite ao exercício de direitos e, consequentemente, de cidadania.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Publicado
2012-07-15
Cómo citar
de Carvalho Danta, F. (2012). Direitos Humanos e pensamento indígena no Brasil: um breve percurso sobre a violencia da invisibilização dos modos indígenas de ser, fazer e viver. Revista PRAXIS, (67), 31-48. Recuperado a partir de https://revistas.una.ac.cr/index.php/praxis/article/view/5058
Sección
Ponencias